Voltar

Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência

A partir de uma iniciativa da UNESCO e ONU, instituída em 2015, comemora-se o Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência em 11 de fevereiro.  

As mulheres foram excluídas da educação formal durante muitas décadas, onde a justificativa era vinculada ao corpo feminino, acreditava-se que mulheres tinham menor capacidade intelectual e cognitiva. 

 Mesmo com várias dificuldades, muitas mulheres lutaram e conquistaram espaço na ciência.

Por isso, gostaríamos de homenagear elas, que sempre se destacaram e que estão se destacando ainda mais na situação atual que vivemos: Mulheres e Meninas da Ciência.

 Confira algumas mulheres que desempenharam papel fundamental nas comunidades da ciência e tecnologia. 

Resultado de imagem para johanna dobereiner

Johanna Döbereine

A mulher que revolucionou a agronomia mundial. 

Se hoje o Brasil é o segundo produtor mundial de soja e tem carros movidos a álcool em vez de gasolina, é graças a Johanna Liesbeth Kubelka Döbereiner. Nascida na República Tcheca, a engenheira agrônoma migrou para o Brasil após a graduação e passou a desenvolver pesquisas sobre bactérias fixadoras de nitrogênio que podem metabolizar o elemento presente no ar e transformá-lo em um produto que as plantas conseguem absorver. Döbereiner morreu aos 75 anos em Seropédica, interior do Rio de Janeiro, onde vivia desde que se mudou para o Brasil.


Resultado de imagem para Rosalind Franklin

 Rosalind Franklin

Aos 31 anos, Franklin entrou para o laboratório de biofísica do King’s College. Lá, ao extrair fibras de DNA para uma análise com raios-X, descobriu que não havia apenas uma forma da molécula, e sim duas.


Resultado de imagem para  Jocelyn Bell

 Jocelyn Bell

Em 1967, ao revisar os relatórios de monitoramento de quasares (massas de energia e luz maiores que estrelas), Jocelyn Bell Burnell notou uma série de pulsos que aparecia a cada 1,3 segundo.

Estes sinais vinham de estrelas de nêutrons, que transformam a energia rotacional em eletromagnética.

A descoberta revolucionou a astronomia, tendo sido utilizada inclusive para testar a teoria da relatividade.

Em 2018, a astrofísica foi premiada com o Breakthrough de Física.


Resultado de imagem para Jane Cooke Wright

Jane Cooke Wright

Jane Cooke Wright contribuiu para o desenvolvimento da quimioterapia.

Aos 48 anos, a médica foi indicada pelo presidente Lyndon Johnson para o Conselho Nacional do Câncer.


Resultado de imagem para Marie Curie

 Marie Curie

Durante quatro décadas, ela pesquisou os efeitos da radiação. Costumava levar nos bolsos tubos de ensaio contendo material radioativo, que podem ter provocado o problema na medula.

Em 1903, tornou-se a primeira mulher a ganhar um Prêmio Nobel.

Em 1911, Marie Curie se tornou a primeira, e única mulher a ganhar um segundo Prêmio Nobel, desta vez o de Química, por conta da descoberta do rádio e do polônio.

Marie foi a primeira mulher a se tornar professora da prestigiada Universidade de Paris e a primeira mulher a concluir o Doutorado na França.

Feliz Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência!

Copyright 2019 © Instituto Cultural Brasil - Estados Unidos